terça-feira, 14 de abril de 2009

era saber que iriam sarar.


E, sarando, ele tinha a certeza que por mais forte que fosse a paixão, mesmo dessas que deixam cicatrizes, seria fugaz.

Mas, diferente das outras, essa resistia em se esvair. Buscava abrir novas feridas (com novas paixões) para que as velhas se fechassem mais rápido, mas era duplamente inútil. As velhas feridas não saravam e a surra de amor que levara deixara sua pele deveras rígida, já não se feria como antes.

Ele ainda poderia beija-la. A força, ela gostaria.
Mas não se humilharia mais por ela, estava decidido.

Aquela outra que sempre esteve a sua disposição agora parecia ainda mais interessante, tamanha era sua vontade de esquecer a que lhe prendera a alma. Ficaria com ela, estava decidido.

Caminhava sem olhar para os lados. Julgava-se forte, se se esbarrassem com ele, não seria ele quem cairia. Não se preocupava com os outros, estava cansado de se preocupar com os outros. Agora só cuidaria de si, estava decidido.

Pensamentos iam e viam. Tinha que decidir uma coisa de vez e não voltar a pensar nela, sabia disso.

"Estrelas mudam de lugar, chegam mais perto só pra ver..." -- A trilha sonora confundia-lhe as idéias, mudava-a a todo instante, mas não ajudava.

Entendia que uma interferência externa era necessária para que aqueles pensamentos deixassem de tortura-lhe o intelecto.

Poderia ter esbarrado com qualquer um.
Mas esbarrou-se com ela.

( Calisto e Anita -- Parte I )

4 Comments:

  1. A. Chemas said...
    Este comentário foi removido pelo autor.
    Aquela tal de brito said...
    é as vezes por mais que não queremos tudo em volta faz vc ter que reviver.

    " Poderia ter esbarrado em qualquer um, mas esbarrou-se com ELA." Amei :)

    beeeijos;*
    Dayany said...
    essa última frase, já dita aqui acima, eu tbm amei! [2]
    haha...

    na primeira vez que eu vi o quadrinho, também demorei entender...
    no caso, o espermatozóide foi negado pelo óvulo... e eu disse que a natureza nem sempre é tão esperta, pq o mundo ta cheio de idiotas. :B

    haha, é a vida...
    :~

    adorei seu blog!
    beijos!
    Gabriela Domiciano said...
    Tem horas q apreciamos a dor, se remeche em feridas que deviam ficar quietas. Talvez pq elas cicatrizadas doam ainda mais.
    =/

Post a Comment