terça-feira, 21 de abril de 2009

"Havia uma pedra no meio do caminho..."

Seu orgulho era a pedra.

Seus olhos penetravam os dela e os dela os seus. Desviavam-se, penetravam-se novamente.
O momento carecia de atitude.

Ele era uma infinidade de equações inacabadas em busca da Liberdade.
Ela era uma porção de certezas arbitrárias as quais chamava Verdade.

Ele quis dizer-lhe impropérios havia pensado, desculpas indevidas, perguntas que havia ensaiado...
Ela queria chorar pelo que haviam sofrido, beijar-lhe pelo que haviam se amado, esquecer-se do que haviam passado...


Lembraram-se, simultâneamente, das traições. Culpavam-se, mas não eram culpados.
Eram como são os criminosos que cometem o crime preparado pela sociedade.
Ele não a culpava, ela, tampouco, culpava ele.
Ambos culpavam a si própios por terem traído o outro. Ambos amavam terceiros.

Havia paixão entre os dois; havia amor da parte dele, ela estava confusa. A relação entre eles era mais simbiótica que amorosa.

Ainda havia tempo, poderiam voltar atrás, se quisessem. Queriam. Ele estava certo disso, ela estava confusa.

A história dos dois tomaria o rumo definido por ele, naquele momento. Ela tinha certeza que, como sempre, ele sabia o que fazer; ele estava confuso, pois acreditava que, ao menos uma vez, ela tivesse certeza de algo.

A admirou por alguns instantes, tinha taquicardia, mas fingiu-se indiferente. Ela fez o mesmo. -- Eram iguais, embora diferentes. O Infante e A Princesa. -- Passou por ela, pensou em olhar pra trás, teria visto que ela o olhara, se o tivesse concretizado seu pensamento. Sorriu, e seguiu seu caminho, sua vida.

Agora,

( Calisto e Anita -- Parte II )

4 comentários:

Gabriela Domiciano disse...

Calisto e Anita são tantos por aí!!!!
Histórias que se repetem, repetem, repetem.....

Parabéns por esses textos de Calisto e Anita, estão ótimos!!!
=D

obrigada pela visita e pela indicação do filme, se possível assistirei

Bjos!

Celamar Maione disse...

Texto bacana e verdadeiro, hein ?
Retrato de um homem e de uma mulher.
As diferenças que acabam unindo.
E vivam as diferenças !
Bj

Dayany disse...

muito bacana!

Tiago P. disse...

Nossa fazia muito tempo que não passava aqui.
Vou te linkar de novo no meu blog.

E como disse a primeira Gabriela, Calisto e Anita tem aos montes por aí.
Abç