sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

"Ninguém é inocente,

muito menos eu."


Já havia notado, mas nunca parei pra pensar sobre o contentamento e a satisfação com que as pessoas costumam ouvir essa frase... É como se pensassem "Tá todo mundo errado, ninguém pode me julgar.", ou "Quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra.". Acho isso ridículo. É se julgar inocente, mesmo sabendo que não é, é legítimar/aceitar a corrupção.

Quem disse aquela frase do "...o que me preocupa é o silêncio dos bons." concordaria comigo, se ele falava sinceramente.

É esquisito ver as mesmas pessoas usarem essas duas frases, e a maioria usa (figurativamente falando), porque uma atesta e legítima de corrupção e outra expressa a indignação com a corrupção e a legítimação desta. É ignorância mesmo ou é cara-de-pau?!

A maioria das pessoas ri, quando é pego fazendo algo errado, "quem não faz?!". Parecem crianças passando a culpa de uma pra outra, como se isso as tornassem menos culpadas.

É esse o princípio de "O ensaio sobre a cegueira", aliás. Se ninguém sabe e ninguém vê, não aconteceu e pode-se tudo. É deplorável, mesmo. Somos todos assim! Assumamos!

Até mesmo o mais justo escorrega, vez ou outra.

Não sou "inocente" também, não me orgulho nada disso, mas, também, não envergonho-me, faço o que posso e limpo as sujeiras que faço, as que não fui eu quem fez, também, as vezes. Peco pela cumplícidade, e não acho o pior dos pecados, creio que têm-se que dar o direito a cada pessoa de cumprir seu dever, assumir seus erros, "É melhor correr o risco de salvar um homem culpado do que condenar um inocente."

Não posso esquecer, também, dos que se dizem justos para buscam julgar. É tão quanto, ou ainda mais, deploravel. Valem-se de idéias notóriamente baixas, como "Eu não sou nenhum santo, mas você extrapola...". O erro do outro é sempre pior...
É algo do tipo "Quando todo mundo quer saber é porque ninguém tem nada com isso.", ou ,ainda, "Há duas coisas que ninguém perdoa: nossas vitórias e nossos fracassos."

Não, não acho que querer que isso acabe é pedir demais. Não acredito na utopia, contudo. Só digo que podemos melhorar. "Enquanto o homem, ainda, se envergonha de seus mau-feitos, ainda há esperança.".

O mundo não é essa imudice toda que os que parecem mais experientes/lúcidos/inteligentes dizem ser. Acho até que a maioria dos que dizem isso não passam de posers. Existe gente boa por aí.

Isso de ter fé na humanidade ser sinônimo de ingênuidade, também, é coisa de gente fraca, que desiste fácil, e que atrapalha, ainda por cima, não encontro termo melhor: "é foda". Desestimula qualquer um.

Posso, até, estar errado, mas, parodiando: Se o mundo é mesmo parecido com o que dizem, prefiro acreditar no mundo do meu jeito. Não desisti até hoje e não desistirei, não preciso de mais nada para isso."É bom ter esperança, o ruim é depender dela.".


Teria que argumentar muito mais pra convencer alguém que está em cima do muro, sei, e os que estão do outro lado dele são inimigos, sei, também. Mas isso não é uma lição de moral, nem papo poser, tá mais pra um desabafo, é uma Idéia quase ordinária.

1 Comment:

  1. A. Chemas said...
    Uau, que indignação menino oo'

    Mas, o texto está ótimo.

Post a Comment