domingo, 26 de julho de 2009

Alcateia desvairada

Era ele o macho alfa, o provedor.

Saia à caça todos os dias, pois, se não saisse, não havia quem saisse por ele. Era ele o macho alfa.

Cuidava, ele, dos lobinhos, da loba e dos lobos seus amigos e, às vezes, de lobos e não lobos mais fracos, que não tinham a quem recorrer, afinal era ele um macho alfa.

Alguns lobos dariam uma pata e seus caninos para ser como ele, e o que ele não daria para não ser?

Não que ele não gostasse de ser o Alfa, mas às vezes...Só às vezes, ele queria não sê-lo.

A caça nem sempre era boa, nem sempre dava para todos.
No início, ele repartia... Mas não podia ver os seus com fome, então passou a alimentar primeiro os seus, depois os outros, e era condenado por isso.

Ensinara outros lobos a caçarem como ele, mas esses outros estavam muito aquém do provedor que ele era, o que deixava claro porque era ele, e não outro, o macho alfa.

A qualquer um do seu bando que tivesse problemas ele acudiria, e acudia. Todos tinham o macho alfa para lhes salvar, mas quem salvaria o macho alfa se ele precisasse?
Ninguém, ele sabia disso.

Vivia em seu mundo, zelando por todos, sempre calado. Era um herói. Infeliz, mas heróico.

Um belo dia o macho alfa decidiu mudar, e fazer tudo que queria fazer. Ele já estava a flor da pele, daquele jeito não podia mais prosseguir. O macho alfa seguiu seu rumo, sem se preocupar com as incumbências do antigo posto, largara o cargo, mas sem encargo, muito já havia feito por todos aqueles agregados.

Por onde anda o lobo? É feliz? Arrependera-se? Não se sabe. Mas é certo que, depois de experimentar a liberdade, ele jamais voltou.

A alcateia sobreviveu... Aprenderam a se virar. Mas a boa ventura como a dos tempos do macho alfa, jamais se viu.

5 comentários:

A. Chemas disse...

Que genial. Liberdade é essencial, ainda mais para quebrar a rotina. rs

Mika disse...

damn, gosto muito do seu jeito de escrever... mesmo.
o jeito é original, o conteúdo é foda!

então, respondendo o seu batalhão de perguntas... Você me achou há um tempo, mas eu só vi o comentário uns dias atrás e entrei no seu blog para ver quem eras, e adorei. Resolvi comentar. :)
Agora, de onde você me encontrou eu já não sei, haha.

Daniela Filipini disse...

Bem interessante!
Adorei!

anareis disse...

Querido novo amigo ,estou precisando muito da ajuda de todos os amigos. estou montando uma minibiblioteca comunitária pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,se voce puder me ajudar estou fazendo uma campanha de doações. pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3, ou pode doar livros ,ou pode doar máquina de costura, ou pode doar retalhos, ou pode doar computador usado. se quizer fazer aguma doação entre em contato com meu email: asilvareis10@gmail.com ,eu darei o endereço de remessa. se voce não puder me ajudar com doações pode divulgar minha campanha, tenho 2 blogs no google gostaria da sua visita: Eulucinha.blogspot.com ,obrigado pela sua atenção.

Daniela Filipini disse...

Respondendo ao seu comentário, muitas vezes, o silêncio é a melhor opção, mas quase nunca é o escolhido. :)